Entrevistas

[Série de Entrevistas] Praticando Endomarketing com Eduardo Correa

Olá, pessoal! Tudo bem?

Hoje entrevistamos o Eduardo Correa, que mora em Curitiba e é Gerente de Comunicação e Conteúdo do Grupo Marista. Ele é Jornalista Especialista em Relações Internacionais, MBA em Marketing pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e tem certificado em Gerenciamento de Crises pela Harvard University e em treinamento de porta-vozes pelo Institute for Crisis Management.

Confiram as dicas preciosas que ele compartilhou.

1 - Como foi sua trajetória até chegar na área de endomarketing?

Meu primeiro estágio em comunicação corporativa, na operadora de telefonia TIM, em 2003, tinha atividades relacionadas a endomarketing. Após algumas mudanças organizacionais, continuei focado somente em comunicação externa. Após essa experiência corporativa, trabalhei por alguns anos em veículos de comunicação. Em 2010 voltei à comunicação corporativa, na equipe de comunicação externa da operadora de telefonia GVT (adquirida pela Telefônica/Vivo). Voltei a trabalhar com endomarketing em 2012, como Executivo de Comunicação Interna na Philip Morris. Em 2013, assumi a gerência de comunicação no Grupo Marista, onde estou até hoje, responsável pelas estratégias de comunicação interna e externa.

2 - A alta direção da empresa que você trabalha sabe a importância das ações de endomarketing?

Em 2015, começamos um trabalho de reestruturação da Comunicação Interna. A nova estratégia foi lançada em 2016 e um dos pilares é justamente o empoderamento dos gestores no processo de endomarketing. Com o lema "por mais olho no olho", temos trabalhado constantemente na conscientização dos gestores sobre seu papel como protagonista. a estratégia tem funcionado justamente porque a alta liderança vê a comunicação como algo crucial e estratégico.

 3- Qual área da organização é a responsável por realizar o endomarketing? (RH, Comunicação, Marketing)

A gerência de Comunicação e Conteúdo é uma das áreas da Diretoria de Comunicação e Planejamento. Porém, há uma interface muito grande com a Diretoria de Desenvolvimento Humano e Organizacional, área com a qual realizamos parcerias importantes.

4- Há uma integração entre as áreas para realizar ações de endomarketing? Ou as ações são feitas de maneira isolada apenas por uma área?

Existem ações corriqueiras, que fazem parte do calendário, que são tocadas diretamente pelo time de Comunicação Interna. Quando são ações demandadas por algum cliente interno, sempre temos o envolvimento da área demandante e de outros parceiros importantes para o desdobramento. 

 5- Conta pra gente um pouco das ações de endomarketing que já foram realizadas e quais as que tiveram mais sucesso.

A reestruturação da estratégia de comunicação com os colaboradores do Grupo Marista foi a principal. Conquistamos os prêmios Aberje (2016) e Fundacom (2017) na categoria Comunicação e Relacionamento com o Público Interno

 

A caixa "Sou Marista" foi utilizada no lançamento da nova estratégia de comunicação com os colaboradores, em 2016. A área de Comunicação produziu 20 caixas que percorreram as 60 unidades, além das áreas corporativas. Foram preparados vídeos e materiais que ajudavam os gestores a puxar uma dinâmica sobre o que é ser Marista, com o objetivo de estimular a comunicação "olho no olho". Além de cada caixa ter um roteiro, cada gestor realizava a dinâmica e eles já sabiam para quem enviar o material na sequência. A ideia de compartilhar as caixas foi permitir que cada unidade incluísse fotos e mensagens para os colegas.

6- Quais veículos internos tem na empresa onde você trabalha?

A nossa estratégia considera os gestores os principais canais de comunicação. Todas as demais ferramentas servem de suporte para essa comunicação "olho no olho". Temos newsletter mensal para os gestores, intranet com espaço exclusivo para materiais de suporte aos gestores, murais, murais eletrônicos e eventos de aproximação com a liderança.

7- Como você mensura os resultados das ações/campanhas de CI e endomarketing?

Mensuramos as ações de várias maneiras. Na intranet, acompanhamos os números de acessos e visualizações dos conteúdos. Para o disparo de comunicados por e-mail, utilizamos uma ferramenta que nos ajuda a verificar o recebimento e taxa de abertura das mensagens. Nos eventos com a liderança, avaliamos o número de participantes a cada edição e também enviamos formulários de satisfação aos participantes. No caso de campanhas e mensagens prioritárias que devem ser desdobradas, fazemos pesquisas periódicas para identificar se as mensagens estão chegando a todas as unidades. Também somos avaliados de forma mais ampla com uma pesquisa anual de Comunicação Interna, e de forma indireta na Pesquisa de Clima e Engajamento, que traz o item Comunicação.

8- Que dicas você daria para os profissionais que querem trabalhar nessa área?

É importante que o profissional de Comunicação tenha conhecimento de várias áreas da organização. Precisamos entender como funcionam quais são os desafios de equipes de RH, TI, Finanças, Operações, entre outras. Somente conhecendo as particularidades dos públicos e das mensagens que precisam ser passadas teremos condições de elaborar estratégias assertivas.

9- Quais características o profissional de endomarketing tem que ter para trabalhar na área?

Primeiro, quero destacar o que eu não acho essencial para trabalhar na área. Apesar de ser jornalista, aprendi que um bom profissional de Comunicação não precisa ser formado em Comunicação. Trabalho com uma profissional muito competente que é formada em administração e já trabalhei com um filósofo, um dos profissionais mais brilhantes que conheci.

Então, independentemente da formação, o importante é ser criativo, ter bom texto, gostar de adquirir novos conhecimentos, ser apaixonado por cultura organizacional e pelo relacionamento com diferentes perfis de pessoas.

 10- Deixe uma mensagem para os apaixonados por Comunicação Interna e Endomarketing.

É fundamental transformarmos toda a nossa paixão em estratégia. A comunicação com os colaboradores só será considerada estratégica se realmente houver uma estratégia embasando as ações. Ouço muitos profissionais lamentando que não há reconhecimento para o trabalho realizado. Porém, antes do reconhecimento vir, precisamos apresentar uma estratégia que faça sentido para a organização.

Continue lendo

JENIFER FERNANDES

É Relações-Públicas, já trabalhou com Assessoria de Imprensa e trabalha com Relacionamento Digital de grandes marcas. Gosta muito de Comunicação Interna e Endomarketing e quer desbravar essa área atualmente.

Artigos relacionados

1 thought on “[Série de Entrevistas] Praticando Endomarketing com Eduardo Correa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close